sábado, 13 de novembro de 2010

retalhos

 Hoje encontrei-me a procurar-te e nada encontrei, nem uma única réstia de sofrimento ficou. Bem que tentei caçar-te como uma lebre, ferozmente, mas nada. Forcei lágrimas... não caíram!
O alívio inerente ao momento deu lugar ao incoerente desespero. Não estavas mais alí, já tinha costurado os retalhos de ti que restaram de um todo, e mais uma vez repentinamente resolveste partir, mais uma vez não foste homem suficiente para esperar que eu estivesse pronta, agora não para te deixar, mas para amar de novo, para voltar a sofrer e deixar essa felicidade incompleta, que me faz tão bem! Mas enfim...desilusão dupla. Foste mais uma vez demasiado fraco para deixar-se ser trocado, afinal sabes bem que eu sou lenta em processos emotivos, mas mais uma vez não te contentaste em ver-me feliz. Sempre foi assim, a minha alegria sempre te incomodou e até a minha liberdade e a minha " não dependência" de ti sempre fez-te voltas ao teu estômago.
É que não percebes? Estava tudo como deveria ser. Tu estavas feliz, acompanhado ou não, mas já tens a tua vida linda e perfeitamente aborrecida, como sempre.E eu? Para além de ter percebido as palavras de Rosseau, quando no texto "Devaneios de um solitário" diz que a felicidade plena consiste em nós mesmo , aprendi o significado de "amor próprio" e para além de tudo isto já tinha te posto no lugar que realmente te pertencia, ao que te rebaixei, eras o nada que servia de "tapa-buracos". As vezes até gostava de ir lá ver os remendos, era engraçado digamos... rir-me de ti, ao pensar que já te achei tão superior...mas o teu orgulho e super-amor-próprio mais uma vez não suportou ver-me belamente a vencer-te.
É que agora, sinceramente não sei o que fazer com o buraco de não te querer mais ! É muito estranho ver fotos nossas e só pensar " como eu era feia meu Deus", ou então tocar a nossa música no rádio e já não ter mesmo encanto, ou até mesmo falar de ti sem sentir aquele aperto no peito. Deveria ser aliviador, mas é estranho passar por ti e nem uma unica celulazinha saltar.
Eu sei que qualquer dia, onde ficavam os teus remendos vai vir uma peça nova, de primeira qualidade e com garantia toda XPTO !
Mas até lá pergunto-me ... onde foste buscar tanta covardia?

4 comentários:

  1. Vim agradecer seu comentario no nosso blog http://tempoatoa.wordpress.com/ e conhecer o seu...
    Já tinha costurado os retalhos de ti que restaram de um todo, e mais uma vez repentinamente resolves partir? ²

    Adorei... Escreve muito bem, amar é isso, sofrer, sorrir, chorar, rir.
    Nada como um bom reencontro para apagar as magoas..




    @tempoatoa #tempoatoa

    ResponderExcluir
  2. Concordo totalmente, e que esse "reencontro" seja com uma alma que perdi por ai x) !
    Obrigada !

    ResponderExcluir
  3. senti uma certa identificação com o seu sentimento, que apesar de tudo não sei se é real, nem o meu nem o seu...

    ResponderExcluir